domingo, 28 de junho de 2009

Caixinha de Música

Ler ao som de: Fur Elise - Beethoven


Caixa de vidro, de cima a baixo.
Dentro uma bailarina que dança
Passos leves, suaves. Compasso.
Olhos vidrados no que não acho.

Ele entrou.
Nela reparou.
Tudo parou.

Aquela música que parava,
No tempo em que separava.
Parece que o passado voltava,
Mas tudo em volta paralisava.

A doce bailarina assistia
O tempo em movimento.
Seus doces movimentos
Que paralisavam o tempo.

Ele, hipnotizado, assistia cada passo
Enquanto revivia-se o seu passado.
Paralisado.

Carola Guimarães


3 comentários:

Prof. Israel Lima disse...

Parabéns pelo belíssimo blog.

Tenha um excelente domingo.

Beijos

Ana disse...

Seu texto me fez sentir paz, me fez lembrar a sensação daquela caixa de música, onde o silêncio só era quebrado por aquela linda trilha, que fazia ela bailar e realmente, sempre faz o passado voltar, faz ter lembranças boas, ser abraçado pelo aconchego do que já passou.

Ah, sobre os olhos castanhos esverdeados, não se esquece nunca não é? rsrsrs. Beijos.

Ernani Netto disse...

Tentando ser poetisa é modéstia demais!

Bela poesia!

Bjaum