terça-feira, 30 de junho de 2009

Pontos


Um ponto de vista,
Invista em um ponto.
No ponto de ônibus,
Sempre um atraso.
Perco-me em um ponto
E quem disse que acho?
Eis aí o meu ponto fraco.

Em ponto cruz,
Bordo um sorriso.
No cartesiano...
Pontos infinitos!
Pontos de sutura que retiro,
Exodontia de um dente ciso.

Um ponto de referência no horizonte
Só pra saber o quanto estou distante.

Em meu ponto turístico...
Por que não me arrisco?
E aponto para adiante
A ponto que sobrevivo.

Para ser aprovada,
Somar pontos do nada.

Entre tantos pontos,
Ponto de interrogação.
Faço-me exclamação.
Ponto latitudinal.
Ponto final.

Carola Guimarães

* E hoje perdi 52 pontos, né Ilaninha?!

2 comentários:

Ana disse...

E não vamos esquecer dos três pontos, das reticências dos dias, das noites, dos momentos, dos sorrisos e de tudo mais... porque continuar e continuar é sempre bom...

Rodrigo Barros disse...

Arrasou! ;')