sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Palavras repetidas...

Minhas palavras começam a ficar repetitivas.
Por causa dessa saudade que me invade,
Deixa tudo em carne viva.
Tão viva que sinto dor.
Saudade que dói.
E como dói!

Havia concertado o Moreno, meu violão.
Mas ele caiu mais uma vez no chão,
Além do seu braço, partiu meu coração.
E agora, como faço uma canção?

O mano caçula está doente,
Mainha acha que é dengue.
Não sei o que fazer,
Ele não quer comer.

Hoje o sol bateu na janela,
A saudade no meu coração.
Alguém bateu na porta,
E nem tive a tua mão...

Saudades, saudades, saudades...
Saudades de Thi...

Carola Guimarães

Um comentário:

Maxmilla Barroso disse...

Sentimento de Saudades fzem o poeta se repetir (¿)