terça-feira, 2 de novembro de 2010

Expectativas

Todos esperamos, sonhamos, desejamos.
Criamos mil expectativas,
Pensamentos positivos,
Ou ainda que negativos.
Mas sempre temos expectativas.
Por um sonho, quando acordou,
Antes da noite, quando o sol se por.
Que venha uma brisa leve a soprar,
Que tudo possa se realizar.
Imaginamos, especulamos.
E que cada coisa aconteça
Desse jeito que esperamos,
Assim somos, humanos.
Com as expectativas vem as decepções.
Por uma lágrima que não caiu,
Um presente que não abriu,
Porque alguém não sorriu,
Pelo tropeço, porque caiu,
Por alguém que partiu
E nem mesmo se despediu,
Pelo amor que não sentiu,
Pela raiva que invadiu,
Por alguém que mentiu,
Pelo sentimento que se esvaiu,
Por um sonho que acabou,
Por um brinquedo que quebrou,
Pela música que não tocou,
Pelo final que não rodou,
Pela carta que não chegou,
Pelo telefone que não tocou,
Por um arquivo que não salvou
Na formatação se apagou...
Mas sobre as expectativas...
Elas nunca são esquecidas,
Nunca as colocamos de lado.
Fazemos justo o contrário,
Quando menos devemos,
Mais nós queremos.
Mais planos...
Entretanto, estas tentativas,
Deixe expectativas.

Carola Guimarães 

3 comentários:

Henrique Macêdo disse...

Sempre gostei de poemas. Aquelas frases curtas com vasto contexto implícito.

Admiro quem domina o dom de escreve-los.

E esse espaço teu é bastante acolhedor, segui-lo-ei com toda a certeza!

;)

Sobre o Trovato, bom que gostou, sinta-se à vontade para voltar sempre, comentar e completar.

Minhas saudações! :)

Maxmilla Barroso disse...

Arrancou um dente meu.

Maxmilla Barroso disse...

Foi uma tentativa de dizer que eu gostei do texto de uma maneira diferente.