domingo, 26 de abril de 2009

A Última

Metamorfose Ambulante,
Eu só queria entender
Mas muda a cada instante.
Metamorfose Ambulante,
Eu gosto muito de você
Independente desses instantes,
Dessa incógnita inconstante
Que movimenta os instantes.
Mas nossos mundos paralelos
Estarão sempre distantes.

Carola Guimarães

* Espero que esta seja a última poesia para este fim.
* "Fim" ".".

2 comentários:

Menino Poeta disse...

"Mas nossos mundos paralelos
Estarão sempre distantes."

Essa parte foi escrita pra mim, tenho certeza! kkkk!!! valeu!!!!

Lucas Vallim disse...

Essa coisa de "mundos paralelos" realmente vão ser distantes... as coisas paralelas seguem lado a lado, mas nunca se encontram.